Utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nosso site. Conheça nossa Política de Privacidade
Aceitar

Notícias do mercado imobiliário

FGV lança Índice de Variação de Aluguéis Residenciais (IVAR)

FGV lança Índice de Variação de
Aluguéis Residenciais (IVAR), novo indicador para locação de imóveis



Na terça-feira (11), a Fundação Getúlio Vargas
(FGV) lançou o 
IVAR – Índice de Variação de
Aluguéis Residenciais. Trata-se do novo indicador da instituição para o mercado imobiliário.



O IVAR tem como objetivo medir a evolução mensal
dos valores de 
aluguéis
residenciais
 do
País com base em dados coletados de contratos assinados por inquilinos e
locatários de quatro capitais: Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e
Belo Horizonte.



Segundo a FGV, o indicador irá medir a evolução dos preços e preencher
uma lacuna nas estatísticas nacionais nesse nicho. Atualmente, o
 IGP-M – também da FGV – é o índice
mais comum nos contratos de aluguel — contudo, em 2021 ele acumulou alta de
17,78% e, em 2020, de 23,14%, o que gerou problemas para muitos inquilinos e
proprietários durante a pandemia. Para atender essa demanda, o
IVAR utiliza valores negociados dos aluguéis em vez de dados de anúncios
como base de cálculo. Fazem parte dados como os valores dos contratos novos e
dos reajustes de contratos existentes, além das características de cada imóvel.

O IVAR terá divulgação mensal e passa a integrar já em janeiro o calendário
fixo de divulgação dos índices, indicadores e sondagens do 
FGV IBRE.

IVAR já tem primeira divulgação, referente a dezembro de 2021

Em sua primeira divulgação, na terça (11), o IVAR apresentou desaceleração e
subiu 0,66% em dezembro de 2021, ante alta de 0,79% calculada em novembro.

Com o resultado, o
 indicador
de aluguel
 acumula
variação negativa de 0,61% em 12 meses, fechando 2021 em queda.

Paulo Picchetti, pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (
IBRE) e responsável pela metodologia do
IVAR, destaca que a perda do poder de compra e do emprego durante
a pandemia explicam a queda acumulada do índice em doze meses.

Na passagem de novembro para dezembro, o índice desacelerou em duas das cidades
de maior peso: São Paulo, os preços caíram de 0,78% para 0,48%; e Rio de
Janeiro, foi de 1,46% para 1,03%.

Já em Belo Horizonte e Porto Alegre o movimento foi de alta, com avanços de
1,00% para 1,17% e de 0,27% para 0,43%, respectivamente.



 



IVAR conta com dez mil contratos por mês nessas quatro
capitais atualmente, enviados diretamente pelas empresas administradoras de
imóveis. O objetivo é aumentar o alcance para outras localidades, para isso, a
expectativa é que, com o tempo, novas imobiliárias e entidades apareçam
dispostas a compartilhar as informações, compondo amostras mais robustas para
incluir mais cidades no levantamento.



 

13/01/2022 Fonte: FGV Fundação Getúlio Vargas